It’s all about hair: como eu parei de calar e comecei a escutar o meu cabelo

Faz pouco tempo, na verdade, menos de 2 anos, que eu era viciada em chapinha.

Eu não conseguia sair de casa sem passar a bendita nos fios e hoje eu vejo o quanto era limitador e escravizante todo esse processo.

Meu cabelo tem alguns cachos, mas eles são soltos e grandes, então considero ele mais ondulado do que cacheado. Nunca sofri discriminação por ele, ou algo do tipo, o que acontece com MUITAS mulheres (infelizmente) e talvez seja a maior motivação para se querer modificar as madeixas. Acho que no máximo o que ouvi foi uma piada por ter cortado a franja errado. Mas eu odiava ele, queria esconde-lo o máximo que eu pudesse e esse era um desejo pessoal.

Meus fios são extremamente secos, descontrolados, opacos e quebradiços (ou era, pelo menos). Ele tinha um aspecto nada saudável, isso desde a minha infância. Eu lembro que precisava fazer rabo de cavalo para ir para a escola, e devido a grande quantidade de fios quebrados, se formava uma áurea em torno da minha cabeça com o cabelo que ficava arrepiado.

Na pré-adolescência, comecei a usar faixas de cabelo para controlar esse problema (isso sem soltar o cabelo! Por que o arrepiado se estendia para o resto, que era super volumoso e descontrolado). Sabe a Hermione nos primeiros filmes do Harry Potter? O meu cabelo era igual o dela, com o plus dos fiozinhos que ficavam pra cima.

Foi então que com catorze anos conheci elas: a chapinha e a progressiva. Automaticamente meu cabelo ficou controlado e com o brilho que sempre sonhei. A partir daí Foram exatamente 6 anos de dependência alisando o cabelo, escondendo o que ele realmente era.

cabeloliso

Cabelin liso

Porém chegou um ano conturbado. Estava terminando a facu, já entrando no processo de TCC e estagiando. Aquela uma hora que perdia alisando o cabelo começou a fazer falta para outras coisas, então fui deixando o processo cada vez mais de lado, até parar completamente.

Foi desesperador no começo. Meu cabelo seco estava ainda mais danificado por causa dos anos de química e chapinha, mas isso precisava ser feito, era parte da desintoxicação.

collage22

Após parar de usar chapinha constantemente (seco, mas já melhorando)

Comecei a fazer experiências com ele, ver o que melhorava o aspecto ou não. Comecei a ouvir ele. Percebi que os muitas vezes os shampoos faziam efeito no primeiro mês, e depois tudo regredia. Passei a usar mais de um shampoo e condicionador, hoje já são 5 pares, e cada semana uso um diferente para meu cabelo não se viciar, todos focados em hidratação e brilho.

Gastei uma grana com outros produtos de hidratação rápida, marcas como Aussie, Inoar, Nuxe.

Desde pequena, os cabeleireiros sempre cortavam meu cabelo reto e falavam para eu deixar ele crescer, pois o “peso” do cabelo era a melhor solução para controlar o volume ¬¬ Mas graças a Deus conheci o Rodrigo Lima, do Circus Hair, que tira o volume do cabelo de uma maneira incrível e rápida, desfiando e repicando os fios sem medo.

O corte dele ajudou MUITO, hoje o meu cabelo tem 50% menos volume e meus cachinhos ficaram mais definidos, ao invés de desgrenhados como antes.

Claro que para chegar nesse corte fomos aos poucos. Começamos com ele grande ainda, hoje já tenho um bobby hair maravilhoso!

collage2

Hoje!

Minhas madeixas, hoje bem mais fortes e hidratadas, ainda estão em um processo de transição. Sinto que ainda há coisas a serem feitas, apesar de já ter avançado bastantão. Mas sair da escravidão da chapinha também é um exercício de paciência.

Acho que está valendo a pena, muito. É libertador ter mais horas de sono, não se preocupar com a garoa ou com a praia. É bom você deixar seus fios se expressarem da forma que eles realmente são (parece viagem, mas eu sinto eles mais felizes). O aspecto natural e saudável é muito bom também.

Gastei uma grana com produtos, mas eles estão durante bastante, pelo jeito eles chegam até o fim do ano que vem (o que significa que é um gasto menor do que se eu fizesse duas progressivas nesses dois anos). Ainda uso chapinha: na franja, que é super volúvel: dependendo do dia quero que ela fique lisa na testa. Em outros deixo ela enroladinha de lado, bem anos 80! E claro, não é proibido usar chapinha. Quando eu quero ir de cabelo liso em algum lugar eu uso, ué, da mesma forma que uso baby liss quando quero ele mais cacheado. Mas o importante é que agora é QUANDO EU QUERO!

E esse é o meu desabafo. Já conheci MUITAS meninas que me contaram que estavam viciadas na chapinha também, por diversos motivos, que tentavam parar mas não conseguiam. Acho bacana contar o meu processo, dizer que caso o (ou um dos) motivo(s) para buscar o alisamento for ter cabelo seco, fraco e opaco, que ouvir ele, achar o melhor corte, hidratar e ter paciência é uma solução ótima e libertadora! 😉

Com o tempo vou fazendo resenhas dos produtos que uso hoje e que irei descobrindo com o tempo :*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s